Para deixar salvo: Tendências para a Gastronomia em 2022

tendências para gastronomia em 2022

Tendências para Gastronomia em 2022

Trabalhar com previsão de tendências é algo complicado, pois é preciso estar atento há considerável tempo no mercado; ao mesmo tempo em que este se comporta de forma muito dinâmica e volátil. Mas acompanhando as opiniões de vários chefs e especialistas na área, vamos trazer para vocês, um compilado das apostas do que 2022 pode trazer para o mundo gastronômico.

2021 foi um ano difícil para Gastronomia

Não é segredo que 2021 foi um ano que marcou o mundo como conhecíamos, e modificou consideravelmente. Os negócios, não importando seu tamanho, precisaram recorrer ao mundo online e se reinventar a todo instante. O delivery para restaurantes foi uma modalidade que se tornou fundamental e continua como tendência para 2022.

Há especialistas na área, como André Araújo (presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Pernambuco) que defendem que 2022 será um ano de recuperação, para que em 2023 haja um real crescimento.

“O setor de bares e restaurantes sempre mostrou ter capacidade de recuperação forte, por conta da extensa malha de emprego que oferecemos, da capacidade de adaptação, de aprendizado e de manuseio de atendimento ao público. Ainda assim, muita gente boa foi para outros setores. Há esse crescimento, que está sendo lento, mas é gradual e firme”.

Falou André em entrevista para o Folha de Pernambuco

Veja abaixo, os pontos de aposta em tendência para Gastronomia em 2022.

1. Delivery e Take-out: Realidade que veio para ficar

delivery
Fonte: divulgação

Duas coisas são mais que certas, após 2021:

  1. Mesmo com a reabertura dos serviços de alimentação, ainda é visível a preferência do cliente em receber sua comida em casa ou no trabalho.
  2. Se há cinco anos o delivery era uma promessa de tendência, agora é uma realidade que veio para ficar.

O delivery foi um movimento que tomou conta de todos os estabelecimentos de alimentação. A visibilidade por meio de técnicas do marketing digital e de aplicativos de entrega, se tornou moeda cobiçada durante a pandemia.

Mas o que foi acelerado por meio da falta de contato próximo, tende a permanecer em 2022. O delivery tende a continuar forte, além de ser uma forma de poupar custos visto o ano de pausas e endividamentos pelo qual passamos.

“Trabalhar com um menu que seja atrativo e dialogue com a dinâmica de viagem também é importante, garantindo que o produto chegue na casa do consumidor em um bom estado para consumo”.

Explica Roger Klafke, especialista em alimentos e bebidas do Sebrae-RS.

2. Cozinha Afetiva

tendências para gastronomia em 2022

A comida afetiva, ou comfort food, já vem sendo tendência muito aliada ao movimento Slow Food, mas segundo especialistas, agora ganhará mais força.

Isso porque esse tipo de gastronomia traz conforto, memórias boas e remete a tempos mais fáceis. Tudo que o consumidor atualmente vem buscado em suas experiências.

Quem aqui não conhece alguém que tenha aprendido a fazer pão durante a pandemia? Olhe lá se esse alguém não for você. O ato de comer em casa e fazer a própria refeição findou por aproximar novamente as pessoas da alimentação. Principalmente aquela que conforta e traz bons sentimentos.

Outro ponto que conta muito para essa revalorização da comida de origem, de família, é o aumento do preço dos alimentos, principalmente da carne vermelha, fazendo com que a população aposte em refeições da época das avós, como empadões, ensopados, tortas, entre outros.

3. Cozinha de Valorização do Produto Local

Pouco antes da pandemia, já era uma tendência latente, que agora virá com força devido à reabertura dos estabelecimentos.

O ato de valorizar os produtos locais, de agricultores familiares e micro-produtores, ganhará força em 2022, segundo especialistas.

Além da valorização do interno, tem-se tornado uma necessidade econômica, também. Transporte tornou-se muito caro com o aumento da gasolina, afinal, a base brasileira é rodoviária e o acondicionamento depende da energia elétrica, ou seja, quanto mais próximo forem os produtores, mais vantajoso em todos os aspectos para os restaurantes.

4. Drinks Engarrafados

Esse é mais um exemplo de que a criatividade vence barreiras.

Uma experiência que surgiu durante a pandemia, visto que grande parte da receita de restaurantes vem de drinques e bebidas. Os mixologistas e bartenderes se desdobraram para desenvolver fórmulas que se conservem e viagem bem.

tendências para gastronomia em 2022
Foto: O Tempo.

Deu tão certo que virou tendência. As casas estão investindo bastante neste campo, e eles têm surgido cada vez mais nas prateleiras de supermercados e nos sistemas de delivery e têm força para seguir conforme o setor de bares, bebidas e restaurantes retoma as suas atividades.

Pontos fortes desse produto são a padronização da qualidade sempre presente, a diversão e a praticidade. Além, é claro, de não precisar ser um expert em bebidas para poder tomar aquele drink que tanto gosta, em casa.

5. Coréia

Doramas, música pop e agora, a Gastronomia. Esse país vem exercendo influência grande nos brasileiros.

tendências para gastronomia em 2022
K-Dog: o hot dog coreano | Foto: Tasty Demais

Os conhecidos K-dogs, cachorro quente espetado no palito, têm tomado cada vez mais espaço nas mesas e saídas à passeio dos brasileiros.

E não só eles, mas os ovos mexidos coreanos que compõem sanduíches já populares em Hong Kong, Cingapura e Los Angeles também são apontados como tendência mundial, composto por sabores amanteigados, doces, salgados, picantes e diversas texturas.

As fatias grossas de pão dos Egg Drop Sandos são grelhadas na manteiga, borrifados com um ou dois molhos, recheados com uma seleção aleatória de ingredientes (da manga ao atum, passando pelo frango e outras frutas) e depois cobertos com ovos mexidos, mais molho e uma camada de tempero seco.

6. Veganismo e Alimentações Restritivas

Para deixar salvo: Tendências para a Gastronomia em 2022
Burger do Futuro l Foto: Divulgação

A importância dessa alimentação vem se tornando mais presente nas mesas dos brasileiros, o que ajuda na acessibilidade de pessoas com alimentação restritiva às suas refeições.

Cursos, restaurantes e serviços dessa área tem sido cada vez mais frequentes de serem vistos e debatidos, principalmente em redes sociais.

Chefs têm se especializado e difundido seus conhecimentos com os clientes, de forma que eles também passam a ter acesso de como se alimentar bem em casa.

A indústria, por sua vez, tem investido em produtos veganos, diet, low carb, entre outros. Nas gôndolas dos supermercados, cada vez mais frequente, podemos ver os produtos sendo vendidos e distribuídos para a população.

7. Dark (ou Ghost) Kitchen e Cozinha Colaborativa

Afinal, o que é Dark Kitchen?

Dark Kitchen é uma tendência trazida dos EUA, e funciona como um modelo inovador no segmento de restaurantes e alimentação em geral. Trata-se do uso de cozinhas sem salão, ou seja, por meio do serviço de delivery; sem a presença de clientes em mesas.

Em outras palavras, são restaurantes que funcionam somente com a operação de entrega em domicílio. Isso nos retorna ao ponto 1, em que falamos sobre a importância que o Delivery e Take-out tiveram durante a pandemia do COVID-19.

Nesse modelo, podemos falar ainda, sobre as Cozinhas Colaborativas que são espaços que funcionam como um coworking gastronômico. São espaços montados e compartilhados entre pessoas e negócios que não podem custear uma robusta estrutura, ainda. Da mesma forma, servem como laboratórios para chefs que querem testar suas receitas, e ainda, como cozinha para produção de serviços de catering e personal chefs.

dark post e cozinha colaborativa
Cozinha Colaborativa l Foto: PEGN

O alto investimento em material e estrutura, é algo que muitas vezes inviabiliza a criação de novos empreendimentos gastronômicos, e a Cozinha Colaborativa vem ajudar nesse ponto, por isso tem agregado cada vez mais adeptos. Um exemplo de cozinha colaborativa é a Co.Kitchen.

8. Embalagens Sustentáveis e Cardápios por QR Code

Se antes os QR Codes eram complicados de usar e pareciam não ter uso para a população, a pandemia mais uma vez veio mostrar que a adaptação ao online seria imprescindível. Cardápios, promoções, catálogos e o que mais o cliente tivesse contato em mãos, passou a ser de forma online por meio de códigos em que você apenas precisava apontar seu celular.

O QR Code trouxe ainda a facilidade de o cardápio e a realização de pedidos online serem investimentos de baixo custo que fazem com que o negócio não fique tão dependente do serviço dos garçons, também reduzindo o atrito e garantindo maior segurança para ambos os lados.

O mesmo aconteceu com as embalagens. A preocupação cada vez maior com os recursos naturais e com o meio ambiente foram se fortalecendo e plataformas como o iFood, investiram forte nessa mudança de mentalidade junto aos seus parceiros.

E você? Qual a sua aposta para a Gastronomia em 2022? Deixa aqui nos comentários. Vamos adorar lê-las.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.