Não é de hoje que o termo “Fake News”, ou notícia falsa, em português, existe. Essa expressão é usada desde o final do século XIX, porém se tornou mais popular devido a facilidade da disseminação em grande escala das informações através das redes sociais.

Existem diversos motivos para que sejam criadas as fakes News. Em alguns casos, os autores criam manchetes para atrair acessos aos sites, e, por conseguinte, faturar com publicidade digital.

Além do interesse comercial, as notícias falsas podem ser utilizadas para criar boatos e reforçar pensamentos, prejudicando pessoas não famosas, celebridades, políticos e empresas.

Dessa vez, o alvo foi o empresário Pedro Machado, sócio do Floresta Brasil, um restaurante situado em Fortaleza – CE.

Não bastava ter que fechar seu restaurante devido à crise econômica acarretada pelo COVID-19, demitindo mais de 80 colaboradores, foi divulgado em grande escala que teria cometido suicídio. A notícia se espalhou tão rápido que ele fez uma comparação com a pandemia:

 “Aprendi que a fofoca contamina mais rápido que COVID”

Pedro Machado escreveu explicando a desagradável situação:

“DIA MAIS INTENSO DA MINHA VIDA!

Fechamos o Floresta Brasil com lágrimas nos olhos e ainda ficamos devendo;
Fiz a carta mais triste da minha vida;
Recebemos as mensagens mais lindas e emocionantes de agradecimento sobre o nosso trabalho. Foram quase 2000 mensagens em nossas mídias. Inacreditável, gratificante e fortificante;
Depois me mataram com uma fake news onde dizia que eu tinha me suicidado;
Aprendi que a fofoca contamina mais rápido que o covid;
Recebi outras centenas de mensagens de pessoas apavoradas que me querem bem;
Pra resumir, estou ainda triste e temeroso com tudo isso. Nosso faturamento caiu 90%. Por outro lado, estou feliz demais por tá vivo, com saúde, energia pra trabalhar e por ter tanta gente legal do nosso lado. Muito obrigado galera!!!!!! Vcs fizeram o quê era pra ser um dos piores dias na minha vida, em um dia com muito amor. Beijos em todos e obrigado por tudo!!!”

espalhar noticias falsas
Fonte: Divulgação

Para comprovar a disseminação de fake news, o jornalista Oobah Butler, criou um restaurante fictício, The Shed at Dulwich,  no qual era tão disputado que era necessário fazer reservas pelo site do estabelecimento para poder conseguir degustar o seu cardápio. Essa estratégia manteve afastados os clientes reais.

Em seguida, o jornalista mandou os dados para o TripAdvisor, que aceitou o registro. Foi aí que pediu para seus parentes e amigos escrevessem falsos elogios, atribuindo cinco estrelas. A partir daí, a fama se espalhou pelo mundo todo, em um único dia, o perfil recebeu 90 mil visitas. Com isso o “restaurante” subiu de ranking, tornando-se o melhor da capital londrina.

Com isso, pode-se perceber como é fácil criar e disseminar uma notícia falsa. Infelizmente, é muito difícil combatê-las e punir os autores dos boatos.

É muito importante checar as informações antes de sair divulgando em todas as redes sociais, por isso que no Brasil, existem algumas fact – cheking, isto é, agências especializadas em chegar à veracidade das notícias suspeitas. Alguns grandes portais de notícias criaram setores especializados em averiguar as informações.

Essas são algumas páginas de fact-checking no Brasil:

Agência Lupa
Aos Fatos
Truco
UOL Confere
Boatos.org
E-farsas

Quem nunca espalhou uma fake news?