Receita de Feijoada

Receita de feijoada
Receita de feijoada

Feijoada

Aprenda a preparar a deliciosa receita de feijoada de forma rápida e fácil.
Tempo de Preparo 2 hrs 20 mins
Tempo Total 2 hrs 20 mins
Ocasião Almoço, Aniversário, Jantar, Prato Principal
Cozinha Portuguesa
Porções 20 Porções

Ingredientes
  

Feijoada

  • 1 kg de Feijão Preto
  • 100 gramas de Carne seca
  • 70 gramas de Orelha de Porco
  • 70 gramas de Rabo de Porco
  • 70 gramas de Pé de Porco
  • 100 gramas de Costelinha de porco
  • 50 gramas de Lombo de porco
  • 100 gramas de Paio
  • 150 gramas de Linguiça portuguesa

Tempero

  • 2 Cebolas grandes picadas
  • 1 maço de Cebolinha verde picada
  • 3 folhas de Louro
  • 6 dentes de Alho
  • Pimenta do reino
  • 1 Laranja (ou duas)
  • 40 ml de Pinga
  • Sal Caso precise

Passo a Passo
 

  • Coloque as carnes de molho por 36 horas ou mais, vá trocando a água várias vezes, se for ambiente quente ou verão, coloque gelo por cima ou em camadas frias;
  • Coloque para cozinhar passo a passo: as carnes duras, em seguida as carnes moles;
  • Quando estiver mole coloque o feijão, e retire as carnes;
  • Finalmente tempere o feijão.
Palavras-chave dessa receita Feijoada, feijoada com bacon, feijoada com carne de porco, feijoada com carne do sol, Feijoada com farofa

A feijoada é uma comida famosa brasileira, conhecida por seu sabor inigualável e tempero único. É um dos pratos típicos mais conhecidos e populares da culinária brasileira, composta basicamente por feijão preto, diversas partes do porco, linguiça, farinha e o acompanhamento de verduras e legumes.

Há relatos que, a feijoada é comumente apontada como uma criação da culinária dos africanos escravizados que vieram para o Brasil, mas será esta a real origem deste prato super delicioso?

Origem da feijoada

Historiadores e especialistas da culinária, indicam que a feijoada que mistura vários tipos de carnes, legumes e verduras, se trata de um prato milenar. Remonta possivelmente da área mediterrânea à época do Império Romano. Pratos similares na cozinha latina seriam o cozido, em Portugal; o cassoulet, na França; apaella, à base de arroz, na Espanha; e a casouela e o bollito misto, na Itália.

Porém, a feijoada possui as especificidades da culinária brasileira. O feijão preto é originário da América do Sul e era chamado pelos guaranis de comanda, comaná ou cumaná. A farinha de mandioca também é de origem americana, sendo adotada como componente básico da alimentação dos africanos e europeus que vieram para o Brasil.

Roças de feijão e mandioca eram plantadas em diversos locais, inclusive os espaços domésticos, em torno das residências, principalmente das classes populares.

Você sabia?

De acordo com, Carlos Alberto Dória, a origem da feijoada estaria no “feijão gordo” enriquecido ao extremo, com linguiças, legumes, verduras e carnes de porco. Com isso, a inclusão do último ingrediente acima indicado, levou a Câmara Cascudo a questionar se a feijoada seria, de fato, invenção dos africanos escravizados: sendo boa parte parte dos africanos seguidor do islamismo, como poderiam ter incluído a carne de porco no prato, já que a religião interdita seu consumo?

Sendo assim, o famoso folclorista brasileiro, indica que a feijoada como a conhecemos nos dias atuais, composta de feijão, carnes, hortaliças e legumes, seria uma combinação criada apenas no século XIX em restaurantes frequentados pela elite escravocrata do Brasil. Sua difusão teria ocasionado em hotéis e pensões, principalmente a partir do Rio de Janeiro.

Contudo, a propagação deste prato como o principal e nacional seria consequência das ações dos modernistas para a construção da identidade nacional brasileira, segundo Carlos Alberto Dória. A feijoada seria um dos signos brasileiros, caracterizada pelo tema da antropofagia, da deglutição cultural que permeou a formação da nação brasileira.

Mário de Andrade, apresentou essa perspectiva em seu conhecido livro “Macunaíma”, de 1924, durante um festim na casa do fazendeiro Venceslau Pietro Pietra, no qual participou o anti-herói. Segundo Dória, a cena seria uma alegoria da cozinha nacional e das diversas etnias que entraram em contato no Brasil.

Vinicius de Moraes também versou sobre a feijoada, em seu poema “Feijoada à Minha Moda”, retratando ao final a cena de difícil digestão do prato, mesmo se tratando de um prato de sabor e tempero brasileiro único.

Curiosidades sobre a feijoada

Conheça algumas das maiores curiosidades da feijoada:

  • A feijoada não é uma criação brasileira: Embora, muitos pensem que a criação se deu pelos africanos escravizados, a feijoada originou-se em Portugal;
  • Os índios preferem a mandioca ao feijão preto: A origem do feijão preto se deu nos EUA. Antes mesmo de cair no gosto dos senhores do engenho e dos escravos africanos, o produto já era consumido pelos índios em sua alimentação. Porém, eles preferiram a mandioca, tida como um alimento mais versátil com o qual eles podiam fazer uma bebida chamada cauim, à época muito apreciada pelos colonizadores também;
  • Os bandeirantes ensinaram a técnica de salgar a carne: Estudiosos da história dos alimentos indicam que a feijoada era originalmente preparada com carnes frescas, e não salgados como nos dias de hoje. A técnica de salgar a carne para manter as suas propriedades é antiga e já é usada em todo o mundo. Mas no Brasil, quem a disseminou foram os bandeirantes.

E desta forma originou-se o prato mais desejado e a cara dos brasileiros. E para mais receitas de pratos deliciosos, assim como a feijoada, basta acessar a Achou Gastronomia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Avalie essa receita