Melhores Restaurantes do Mundo 2020: Brasil tem 2 nomes na lista

Apesar da avaliação ter sido interrompida por conta do novo coronavírus, os restaurantes brasileiros “Lasai” e “Sud, o Pássaro Verde” já foram selecionados

0
sud e lasai
Foto: divulgação

A revista “Food & Wine” divulgou na última sexta, 21, a primeira edição de sua lista de melhores restaurantes do mundo.

Excepcionalmente neste ano, por conta da pandemia do novo coronavírus, a lista será divulgada em duas edições, sendo a primeira edição contando com restaurantes da Austrália, Nova Zelândia, América Latina e Caribe – além de uma parte dos Estados Unidos, pois esses foram os locais que a crítica gastronômica Besha Rodell conseguiu visitar antes do início das restrições de viagens.

Dentre esta lista estão dois restaurantes brasileiros e ambos estão situados na cidade do Rio de Janeiro, são eles: “Sud, o Pássaro Verde” e o “Lasai”.

Lasai

Localizado no bairro de Botafogo, o restaurante Lasai possui estrela Michelin e é comandado pelo chef Rafa Costa e Silva e sua mulher Malena Cardiel.

Um dos focos da culinária do local é o uso de ingredientes orgânicos cultivados nas hortas do próprio estabelecimento e na de pequenos produtores do Rio de Janeiro. O local só atende mediante reserva online.

Segundo a crítica da revista o restaurante tem como ponto de destaque os contrastes que o chef utiliza em seus pratos.

“Há uma vivacidade precisa em tudo que chega à mesa no Lasai, desde os coquetéis de fruta com gosto vibrante até as refeições elegantes e arquitetonicamente empratadas servidas durante a noite, passando pelas harmonizações de vinho diversas e minuciosamente escolhidas. Costa e Silva é um mestre dos contrastes, de cor e sabor e textura — tudo tem um gosto brilhante e vivaz. Comer lá faz você se sentir brilhante e vivaz. O que mais você pode querer?”

O chef Rafa Costa e Silva também comentou sobre o prêmio no perfil do restaurante no Instagram:

Apesar de não gostar muito de listas e prêmios….é sempre bom ser reconhecido de alguma forma. Não somos nem os melhores quando citam o @restaurantelasai em uma publicação dessas, nem somos os piores quando recebemos críticas mais duras (são muitas também). O que NÃO MUDAMOS, nunca, é a forma que trabalhamos, o uso de produtos locais DE VERDADE (sem radicalismo), o respeito a nossos colaboradores e aos nossos clientes! Nem guias, nem listas, nem críticas, nem mídias, mudam a forma como pensamos a gastronomia. Temos convicção que os maiores luxos que podemos ter são os produtos que estão ao nosso redor! Nossa equipe merece muitos prêmios. PARABÉNS pessoal pela lembrança!!! @restaurantelasai @lasaiemporio

Sud, o Pássaro Verde

O café é situado atrás de uma grande parede branca em meio às árvores do Jardim Botânico e comandado pela chef Roberta Sudbrack.

Os críticos alertam que é muito fácil o restaurante passar em branco devido a sua localização, porém a fila denuncia que o lugar é incrível.

“Em muitos dias, só é possível ver a fila de pessoas ultrapassando o portão, esperando um lugar em uma das 12 mesas. Elas estão aqui pela cozinha honesta de Roberta Sudbrack, que teve um restaurante premiado com o mesmo nome entre 2005 e 2017. Em 2018, Sudbrack abriu esse café-restaurante muito mais casual, cuja maior parte da comida é feita em um forno a lenha que fica em uma ponta do salão aconchegante. A comida parece feita em casa, mas pelo seu amigo mais culinariamente talentoso, com acesso ao ingredientes mais bonitos que se pode imaginar”

A chef agradeceu o prêmio em seu perfil do Instagram comum texto que relembrou a sua avó.

 […] Resolvi mudar tudo. Fazer um lugar escondidinho, sem placa na porta, que não parecesse um restaurante, mas uma casa. Uma casa onde a gente se aconchega perto do forno. Onde tem sempre água fervendo em cima do fogão pra passar o cafezinho que você gostava: “Nem forte, nem fraco, na medida!” Eu fiz tudo ao contrário do que imaginavam Vó. Eu quis andar na contra mão. Eliminar excessos, me aproximar do meu público com uma proposta mais simples na forma. Mas mantendo a excelência, a chatice que você conhece bem, no conteúdo. Acho que estava querendo provar pra mim mesma, que era possível fazer cozinha de excelência, ou por que não dizer, alta cozinha, com menos pompa e circunstância. Nossos grandes, imensos, produtos brasileiros estão lá! Nossos agricultores, nossos pescadores, nossos artesãos, estão lá! A gente manteve toda a essência do conteúdo, mas aboliu o excesso da forma. Nós fomos ousados de novo Dona Iracema! Nós pegamos a estrada vicinal e largamos a alto estrada pra lá. Nós seguimos no contra fluxo, porque a gente sempre acreditou no que fez, mas achou que era hora de ser mais leve. De ser mais livre! De voar! O pássaro verde está voando Dona Iracema! Há muitos anos, o RS foi eleito um dos melhores restaurantes do mundo pela @foodandwine foi lá no início de tudo. Será que estamos começando tudo de novo? Será que a vida está nos dando a chance de fazer tudo que a gente acredita, agora de um jeito muito mais afetivo e acessível? No meio de toda essa tristeza que tem sido esse ano Dona Iracema, até eu que não ligo para essas coisas, fiquei feliz!

View this post on Instagram

Vó, olha aí! Eu sempre que ganhava algum prêmio, e foram tantos, chegava em casa e te entregava! Você enchia os olhos d’água, passava suas mãozinhas de pele tão delicada por todos os cantinhos dele, e dizia pausadamente: “É… isso não é pouca coisa não. Isso é luta minha filha!” Pra mim, sempre foi muito mais importante o momento de te entregar os prêmios, do o de recebê-los. Era como se fizesse sentido, se fosse para te alegrar! Há uns três anos cansei de tudo isso. Resolvi mudar tudo. Fazer um lugar escondidinho, sem placa na porta, que não parecesse um restaurante, mas uma casa. Uma casa onde a gente se aconchega perto do forno. Onde tem sempre água fervendo em cima do fogão pra passar o cafezinho que você gostava: “Nem forte, nem fraco, na medida!” Eu fiz tudo ao contrário do que imaginavam Vó. Eu quis andar na contra mão. Eliminar excessos, me aproximar do meu público com uma proposta mais simples na forma. Mas mantendo a excelência, a chatice que você conhece bem, no conteúdo. Acho que estava querendo provar pra mim mesma, que era possível fazer cozinha de excelência, ou por que não dizer, alta cozinha, com menos pompa e circunstância. Nossos grandes, imensos, produtos brasileiros estão lá! Nossos agricultores, nossos pescadores, nossos artesãos, estão lá! A gente manteve toda a essência do conteúdo, mas aboliu o excesso da forma. Nós fomos ousados de novo Dona Iracema! Nós pegamos a estrada vicinal e largamos a alto estrada pra lá. Nós seguimos no contra fluxo, porque a gente sempre acreditou no que fez, mas achou que era hora de ser mais leve. De ser mais livre! De voar! O pássaro verde está voando Dona Iracema! Há muitos anos, o RS foi eleito um dos melhores restaurantes do mundo pela @foodandwine foi lá no início de tudo. Será que estamos começando tudo de novo? Será que a vida está nos dando a chance de fazer tudo que a gente acredita, agora de um jeito muito mais afetivo e acessível? No meio de toda essa tristeza que tem sido esse ano Dona Iracema, até eu que não ligo para essas coisas, fiquei feliz! Feliz pelo Brasil, pelo Rio, pela nossa capacidade de não esmorecer e não deixar de sonhar! Seguimos Dona Iracema! Parabéns ao @rafacostaesilva também!

A post shared by Roberta Sudbrack (@robertasudbrack) on

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui