(Foto: Divulgação.)

Completando 90 anos, ano passado, a marca responsável por deliciosos chocolates finos apresenta sua origem no acaso da vida. Sendo, atualmente, uma das poucas marcas que atua no seu segmento tradicionalmente, poucas pessoas realmente têm conhecimento de sua origem e como a empresa chegou até aos dias de hoje.

Assim, em meados de 1920, um casal de imigrantes, vindos da Letônia, desembarcou no Brasil, sendo estes David e Anna Kopenhagen, sendo, ele, um ex estudante de medicina, e, ela, uma pianista. Foi, em 1928, mais ou menos, que a mulher passou a produzir, para vender, docinhos de marzipã, ou marzipan, uma massa doce a base de amêndoas, clara de ovo e açúcar, típica da Europa, mesmo que apresente uma origem duvidosa. Logo, o casal inovou com o produto, que, até então, era desconhecido no território nacional.

primeira loja da marca de chocolates finos kopenhagen
(Foto: Divulgação.)

Demorou, aproximadamente, um ano para que os doces conquistassem o público, fazendo com que o casal de imigrantes decidisse inaugurar sua primeira loja, localizada no centro de São Paulo, onde passaram a comercializar variações do produto original, como bonequinhos e outras figuras construídas a partir da massa. Ademais, não tardou para que os chocolates e balas também se fizessem parte do catálogo da loja, com a produção dos primeiros ovos de Páscoa, em 1930.

Apenas uma década depois, a primeira fábrica da Kopanhagen foi inaugurada, fato que possibilitou a expansão dos produtos vendidos, lançando no mercado chocolates finos, biscoitos e panetones, por exemplo; sendo tudo feito em larga escala. A partir desse ponto, o crescimento foi quase constante, proporcionando o surgimento de produtos que, atualmente, são considerados clássicos da marca; além da abertura da primeira loja no Rio de Janeiro, que, na época, ainda era a capital federal.

clássicos da kopenhagen 2
(Foto: Perfil de Facebook da marca.)

Em 1985, o sistema de franquias foi adotado pelos proprietários, que desejavam crescer mais do que apenas o trecho Rio-São Paulo. Porém, fatores externos, como o crescimento de concorrentes e a volatilidade do mercado, provocaram uma crise na empresa, que passou a vender cada vez menos. A história só mudou de rumo em 1996, quando o empresário Celso Ricardo de Moraes adquiriu a Kopenhagen, que já apresentava mais de 100 lojas espalhadas pelo Brasil.

Desde então, com os devidos investimentos em produtos e ações diferenciadas, a marca cresce num ritmo constante e equilibrado, tornando-se uma das fábricas de chocolates mais modernas da América Latina; modernização a qual também foi aplicada ao restante de lojas. 

Assim, desde o primeiro doce vendido, até os momentos atuais, a marca preza pelo cumprimento de sua missão de fabricar produtos de altíssima qualidade, preservando seu sabor com sofisticação e originalidade; de modo a proporcionar felicidade aos clientes por meio dos doces. Vale ressaltar que, para isso, o acompanhamento das tendências do mercado é realizado, para sempre ofertar ao público aquilo que vai exatamente ao encontro de suas preferências, pois é com este que a Kopenhagen consegue comemorar 90 anos em excelente estado econômico, privilégio que poucas marcas têm no país.