(Foto: Divulgação.)

Todos os anos, no dia 31 de outubro, é comemorado o Halloween, ou Dia das Bruxas. Quando esse momento chega, as crianças se divertem com suas fantasias, e os adultos também, pois o clima do “faz de conta” está no ar. Junto a isso, chega a tradicional pergunta: Qual você prefere, Gostosuras ou Travessuras?

Mas você conhece a origem dessa brincadeira tão famosa do Halloween?

Nos Estados Unidos, um dos principais países que comemoram a data, as crianças, acompanhadas de seus pais, em muitas ocasiões; saem pela rua para ir batendo na porta de casa e questionando “trick or treat”, na esperança de receber doces do anfitrião. Caso ele não tenha gostosuras para dar à elas, sua casa acaba sendo coberta com papel higiênico ou por spray de espuma, o que caracteriza a travessura.

doces ou travessuras origem da brincadeira dos estados unidos
(Foto: Divulgação.)

Porém, a tradição de realizar essa atividade tem sua origem conturbada, mesmo que a maioria tenha semelhanças, como o cristianismo e os mortos. Para alguns, ela veio de uma lenda do povo celta, o qual acreditava que, para se acalmar os espíritos malignos, era necessário deixar comida para eles. Logo após, essa prática foi adaptada com o tempo, de modo que mendigos passaram a bater nas portas das casas em busca de comida, a qual seria trocada por orações pelos entes falecidos da família em questão. 

Este último era justificado pelo lema “Aos pobres pertence o Rei dos Céus”, o qual a maioria acreditava na época. Outra vertente define que essa brincadeira surgiu na Irlanda, graças a lenda de que uma procissão recolhia oferendas de agricultores, para que suas terras não fossem amaldiçoadas por demônios, que devastariam as plantações. No entanto, a versão mais aceita afirma que as gostosuras se derivam da Idade Média. 

bolos da alma
(Foto: Divulgação.)

Na data 2 de novembro, celebra-se o dia dos Finados, também conhecido como dia de todas as almas, no qual as crianças cristãs tinham o costume de ir de casa em casa pedir bolos da alma, ou “soul cakes”, feitos de uma massinha, como pão, embebida em algum líquido, variando sua composição de acordo com o local. Assim, as crianças realizavam orações para algum parente que tivesse falecido da família, o que libertaria sua alma do purgatório.

Por fim, é possível notar que o costume conhecido, hoje em dia, é uma mistura de culturas e tradições de diferentes povos, as quais foram sofrendo modificações ao longo dos anos, de forma a ser adaptada conforme as crenças de cada local em que era celebrada.