Foodtech plant-based brasileira busca suas novas receitas nas regiões do planeta onde se vive mais e melhor

Foodtech plant-based brasileira busca suas novas receitas nas regiões do planeta onde se vive mais e melhor

Itália, Japão, Grécia, Costa Rica e Estados Unidos são países com culturas que, à primeira vista, não têm muito em comum. Mas uma característica desses países segue o caminho contrário das diferenças e une os territórios: todos eles abrigam uma dos cinco lugares do planeta onde a população vive por mais tempo. Agora, as regiões ganham mais um ponto de encontro — a Urban Farmcy. Especializada no desenvolvimento de refeições plant-based que equilibram sabor e saúde, a startup de Porto Alegre (RS) que chegou recentemente ao mercado paulista apresenta quatro refeições, uma sobremesa e azeite de oliva extra virgem criados com base nos cardápios típicos dos locais. Os novos pratos já estão disponíveis no e-commerce da marca e indicam as coordenadas para as regiões em suas embalagens (acesse aqui).

São vários os motivos que levam as regiões de Sardenha, na Itália; Okinawa, no Japão; Nicoya, na Costa Rica; Icária, na Grécia; e Loma Linda, nos Estados Unidos, a concentrarem pessoas que chegam a completar um século de vida, desde noções de coletividade até uma certa estabilidade familiar. No entanto, a alimentação majoritariamente plant-based destaca-se como uma das afinidades mais concretas entre as regiões e, por isso, é um passo vital para a busca de longevidade.

“A busca por uma vida longa e com qualidade é uma das grandes questões da humanidade e, como esses locais mostram, a alimentação variada e focada no consumo de produtos à base de plantas é uma das ferramentas decisivas para chegar aos 100 com qualidade de vida”, comenta Tobias Chanan, Co-CEO e Co-Fundador da marca que impulsiona toda uma rede de fornecedores locais composta em grande parte por agricultores familiares.

Entre as novidades no cardápio da marca, a ilha grega Icária — onde um terço da população tem mais de 90 anos de idade — aparece como musa inspiradora da Farmcy Marmita Mediterrânea. O prato traz bolinhos de peixe, arroz negro com tomate seco e azeitonas, coalhada feita a partir de amêndoas e pesto. A carne moída à base de plantas também aparece no prato que tem a Costa Rica como protagonista. Dando novos caminhos ao chilli picante do país, a startup apresenta a iguaria acompanhada de arroz cateto e milho verde.

Além de recriar composições tradicionalmente com carne bovina, a Urban Farmcy ainda conta com sua própria versão de siri gratinado, prato guiado pelo cardápio de Sardenha, ilha italiana no Mar Mediterrâneo. O siri é feito a partir do palmito temperado com limão e um toque de alga nori, além de ser gratinado ao molho de molho branco de castanhas é acompanhado de batatas e um toque de azeite de oliva. A linha que conecta os locais também é composta por uma opção de prato sem as reinvenções de carnes. Com o cardápio de Okinawa, no Japão, como caminho inventivo, a marca lança o Bowl Oriental — feito com cogumelo à xadrez, arroz cateto integral, vagem holandesa, castanhas-de-caju tostadas e gergelim preto.

A sobremesa da coleção de pratos da marca, que se define como uma “fazenda farmácia urbana”, é a representante da região de Loma Linda, cidade estadunidense localizada na Califórnia. Com uma base crocante de noz pecã, recheio de manteiga de amêndoas e cobertura de néctar de coco com noz pecã, a Urban Farmcy coloca em circulação sua Pecan Pie.

“Todos os lugares por onde esse mapa gastronômico passa são bem peculiares. Poder conectar todos eles, tendo como palco o Brasil, é um passo muito simbólico para esse momento de expansão. Afinal, a meta é salvar a saúde e o planeta através do alimento”, conclui Tobias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.