A liberação das refeições dentro dos restaurantes em Nova York estava prevista para dia 6 de julho, porém a autorização para permitir a reabertura dos salões internos foi adiada, isso ocorreu devido à explosão de novos casos de coronavírus em outros estados dos Estados Unidos após uma reabertura apressada.

A cidade de Nova York registrou mais de 22 mil mortes por coronavírus desde março, enquanto os casos que resultaram em óbitos no estado de Nova York ultrapassaram a 32 mil.

Os casos na cidade de Nova York, antigo epicentro nacional da pandemia, nas últimas semanas diminuíram drasticamente. A cidade iria entrar na terceira fase do plano de reabertura do comércio na segunda-feira, 6 de julho, o que previa refeições dentre de estabelecimentos de alimentação fora do lar, porém com uma capacidade limitada.

De Balsio, prefeito da cidade de NY, acredita que não está no momento de avançar para as refeições dentro dos estabelecimentos.

Acredito que todos compartilhamos da preocupação de que comer dentro de um restaurante se tornou problemático […] aguardamos ter provas de que podemos fazê-lo de forma segura.

A segunda fase de reabertura em Nova York começou na segunda feira da semana passada, no qual permitiu a reabertura do de salões de beleza e refeições em pátios e terraços de restaurantes e bares, com capacidade limitada e distanciamento social.

Para frear o possível aumento de casos em NY o prefeito seguiu as orientações do principal especialista em doenças infecciosas do país, Anthony Fauci, no qual ele alertou que o saldo de novos casos diários pode subir para 100.000 se as autoridades e o público não tomarem medidas para frear o contágio.