A NPC International, maior franqueado da rede Pizza Hut nos Estados Unidos, entrou com um pedido de recuperação judicial durante a pandemia, ou seja, cerca de 300 unidades da pizzaria devem fechar as portas.

No início do mês passado, a NPC começou uma reorganização estrutural, acionando a lei de falência dos Estados Unidos, que é similar ao processo de recuperação judicial brasileiro, garantindo, assim, condições especiais para que a empresa tente se recuperar financeiramente, para evitando a falência.

Em um comunicado, a NPC disse que o fechamento das lojas fortalecerá os negócios da empresa em geral, dando um impulso durante o processo de reestruturação.

O franqueador e a franquia falaram que partes dos restaurantes que serão fechados apresentam um desempenho menor quando comparado com o restante do sistema da Pizza Hut.

No processo de pedido de falência a NPC disse que Pizza Hut perdeu relevância no mercado ao longo do tempo “pela diminuição da inovação do menu e pela falta de uma estratégia clara e de longo prazo por parte da Pizza Hut para resolver os problemas da marca e fornecer uma identidade clara.”, dando espaço para as concorrentes como a Domino’s e Papa John’s.

Apesar de a rede ter tido um aumento significativo no consumo de delivery, durante a pandemia, registrando em maio a maior média de vendas semanais em pedidos de entrega dos últimos anos, a franqueada informou no pedido de falência que as novas medidas de seguranças são caras, custando cerca de U$ 750 mil por mês.

Os funcionários das lojas fechadas serão transferidos para outros restaurantes, se possível, de acordo com o comunicado da Pizza Hut.